quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Meu balanço de 2015

Neste ano que se encerra hoje tenho mais a agradecer do que a pedir. Eu amadureci! Termino o ano me sentindo uma pessoa melhor do que iniciei. Este foi o ano em que quase morri e renasci, em que mudei de ideia com relação a algo que jamais imaginei mudar, em que minhas verdades absolutas caíram por terra. Conheci palavras e siglas novas: tentante, histerosalpigografia, trombofilia, corpo lúteo, AC, GO, PF, FIV, TEC... O mesmo ano em que embarquei neste universo de tentantes foi o ano em que questionei tudo: minhas questões pessoais, minha profissão, meu casamento e, por frações de segundos, até mesmo a minha fé, até então inabalável. O medo por vezes me invadiu. Me desconstrui para, quiçá, me (re)encontrar no meu entulho. E não foi fácil. Nenhuma mudança é, mas muitas são para o melhor. Algumas pessoas fazem uma reforma íntima, eu praticamente implodi tudo, para (re)começar do zero. A busca pela maternidade vem me forjando e, ainda que nada dê certo, já me foi útil no processo evolutivo. Além da evolução, ainda que ínfima, fiz amizades que já fazem parte da minha vida. Nesta viagem em que embarquei alguns meses atrás, ri, vibrei, aprendi, chorei e troquei confidenciais com vocês. Agradeço a cada um por todo o amparo que recebi neste ano que se encerra (por favor, continuem por aqui, porque devo precisar ainda mais de vocês no próximo! kkkk). É natural termos mais afinidade com umas do que com outras, mas fato é que a torcida é, sem sombra de dúvidas, por TODAS. Vivemos nessa constante corrente do bem que não deixa de me comover nunca. Aqui obtive palavras de conforto, apoio, compreensão... Vocês me deram muito e espero poder contribuir com cada uma de vocês de alguma maneira, como forma retribuição e agradecimento. E para o ano que vem desejo que a vontade de Deus coincida com a nossa. Que aquelas que desejam engravidar consigam ter seu bebê nos braços. Que as que já estão grávidas dêem à luz a termo a bebês saudáveis. Que as que estão na fila de adoção tenham seu processo concluído e possam dar todo esse amor que transborda de dentro do peito ao seu filho... Enfim, que Deus dê uma forcinha para realização de desejos tão nobres. É o que espero e desejo para 2016! Pode vir, 2016! Não espero moleza, estou pronta para o que der e vier!
Encontro vocês em 2016, com mais assiduidade, se Deus quiser!
Beijos,

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Últimas atualizações

Olá meninas!
Perdoem meu sumiço, mas várias coisas andam acontecendo por aqui.

- o serviço está acumulado, ando cheia de coisas para  fazer e sem o foco necessário... 

- estamos construindo uma piscina (Adeus, poupança do bebê...) na chácara em que a minha mãe mora e de certa forma, estamos coordenando a obra. Isso tem tomado meu tempo também.
- meu bebê de quatro patas está doentinho, ando preocupada com ele, aí fico mais quietona mesmo... Some este fato aos motivos do meu desaparecimento.
- além disso, estou tendo um branco criativo. Sem ideias para postar aqui e no instagram enquanto o bebê não vem... 
- sobre a ausência de pauta, pedi sugestões no snapchat de assuntos para abordar no instagram e aqui no blog e as meninas arrasaram! Enviaram muitas ideias, mas sobre assuntos que não domino para abordar, portanto, vou me inteirar dos assuntos e depois falo sobre eles pra não passar informações equivocadas, né?
- aliás, vocês estão no snapchat? Confesso que me viciei naquele aplicativo e quando fico um dia sem dar uma passada por lá já acho estranho... #aloucadasredessociais Quem quiser me acompanhar, segue lá, mas já vou logo avisando, lá mostro minha vida, meu dia a dia e ele não gira só em torno da vida de (quase) tentante,ok? Tem de tudo um pouco...
pridalmaso

- e com isso, lá se vai a minha identidade secreta... 

Aí vocês devem estar pensando: Foda-se,  ninguém se importa com a sua identidade secreta e vocês estão cobertas de razão... kkkkkkk
- estou tentando entender direitinho a história de temperatura basal para controle de ovulação... Tô afinzona de começar a controlar minha temperatura, mas é muito número para a total compreensão (e também não sei se terei paciência para medir todo santo dia antes de me levantar...). Bom, se eu decidir controlar e entender perfeitamente, conto tudo para vocês. Dicas?
- o marido APARENTEMENTE está se adaptando à ideia de ser pai. Eu continuo fazendo a "Monalisa", com aquela cara de paisagem, mas ele tem falado mais a respeito, tocado no assunto, mostrando que está pensando e acho que até com carinho na hipótese. Inclusive, neste final de semana passamos num buffet infantil e estava tendo uma festona, ele perguntou:´"Paixão, nós vamos fazer essas coisas para a Catarina?" Respondi que enquanto for pequena e não entender, não! Mas que na fase escolar que já tem amiguinhos e tal, penso que sim. Ele aprovou minha resposta, afinal, economia é com ele mesmo... kkkkkkkkkkkkkk
- como eu já disse antes, estou fazendo a Monalisa enquanto ele está digerindo a ideia da paternidade porque homem é um bicho teimoso e o meu marido é teimoso ao quadrado. Se eu fico falando: filhos, filhos, filhos, filhos... Ele quer comprar uma caminhonete de dois lugares caríssima (ou fazer uma piscina, esvaziando a poupança... entenderam a analogia, né?). Se eu paro de falar em filhos e até desconverso quando ele fala, demonstrando descaso, ele já analisa o meu pedido com mais carinho... Vai entender? Depois nós é que somos complicadas... kkkk Logo, com ele o que funciona mesmo é ignorar e é o que estou fazendo até a data combinada: janeiro de 2016. Enquanto janeiro não chega, continuo com minha cara:

Minha cara quando o marido fala da Catarina...

E acho que é isso, meu povo! Eu gostaria de prometer não abandonar de novo o blog, mas não sei se conseguiria cumprir a promessa, então, prometo TENTAR não abandonar TANTO, ok? Só um pouquinho de vez em quando, talvez... 
Beijos!
Ci de Cila de Priscila... Sim, já que agora vocês sabem meu nome, acabou o suspense! 

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Ácido Fólico: um marco na nossa história

Oi galera!!!

Este será um post rapidinho, apenas para contar que iniciei o ácido fólico em 03 de novembro. Estou liberada para iniciar as tentativas pelo meu médico, massss ainda tenho que aguardar até janeiro que é o prazo que o marido pediu para se acostumar com a ideia. Ok!
Acontece que na sexta-feira, dia 06/11 o marido perguntou (em tom de brincadeira) se ele poderia tomar o ácido fólico também para ajudar a engravidar.
Vocês conseguem imaginar a minha reação??? Apenas interna, porque externamente não aparentei nada. Mantive a cara de samambaia.
Calmamente respondi que o ácido fólico traz uma série de benefícios, dentre eles, melhorar a qualidade dos peixinhos. Ele tomou e eu mal consegui dormir naquela noite de tão animada que fiquei.
Parem e pensem. Ele diz que não sabe se quer ser pai, mas começou a tomar o ácido fólico para contribuir com a gravidez? É ou não é um avanço? Simmmm! Claro que é!
Acredito que aos poucos ele está se acostumando com a ideia e agradeço a Deus pela evolução. Sinto-me um passinho mais próximo do positivo.
Ebaaaaaa!!!!
Beijos,
Ci

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Florais de Bach e a prova de que santo de casa não faz milagre!


Post curtinho e escrito rapidamente apenas para atualizá-las...
Vamos falar sobre o marido?
Vamos sim Senhoras!!! hahahhaha
Ontem fomos a uma terapeuta "holística" fazer Floral de Bach para o marido, que anda muito ansioso e preocupado.
E não é que conforme ele foi conversando com a terapeuta, ela foi o analisando e trouxe o assunto de filhos à tona? Ela abordou da mesma forma que eu abordo, com os mesmos argumentos, mas ela falando fez efeito kkkkkkkk
Mais uma prova de que santo de casa não faz milagre!
Ele saiu tão bem de lá que mais tarde, em casa, me disse que saiu tão confiante da sessão que quase me olhou e disse: Vamos fazer a Catarina!
hahahahhahahahahahha
Eu, num súbito ataque de bom senso, respondi, com toda a serenidade do mundo que começaremos a tentar quando ele estiver bem certo da decisão, disse-lhe que precisamos aguardar para ver se toda essa confiança que ele estava sentindo se manteria.
Hoje ele começou a tomar o floral... É incrível como floral faz diferença para ele!!! Eu sou muito mais um faixa preta... floralzinho não costuma me fazer nem cócegas... kkkkkkkkk
Mas para ele, funciona, mesmo que seja o efeito placebo. Portanto, já que mal não fará, dá-lhe floral no marido!!!
E ao que tudo indica, até o ano que vem ele estará preparado para a paternidade, se Deus quiser, e Ele há de querer!!!!!
Beijos esperançosos,
Ci

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Post do título confuso: Casamento x maternidade OU marido x filhos OU existe vida após o bebê? kkkkkk

Mais uma da série: marido se acostumando com a ideia de ser pai...
Ontem estávamos o marido e eu, abraçados, deitados na cama quando ele me disse:
-Nossa vida é muito boa, né? Promete que ela não vai mudar mesmo com a Catarina? 

Pausa para os meus suspiros porque na hora eu fiz a samambaia e agi naturalmente...


Eu fui sincera, né gente? Ia enganar o pobrezinho assim, na cara dura? Não é do meu feitio. Eu disse que certamente nossa vida mudaria, especialmente nos primeiros meses, mas que eu podia prometer para ele me esforçar ao máximo para manter a chama acesa, não deixa-lo de escanteio e, assim que possível, passada a fase mais difícil da adaptação, tirarmos uma noite apenas para nós de vez em quando, deixando o bebê dormir na casa da minha mãe.
Outra pausa, agora para digressões. Eu já contei que sonhei com o nome do bebê, que seria uma menininha etc... Mas vocês já repararam que eu evito chamar pelo nome e até mesmo dar o gênero (menino/menina)? Não quero gerar expectativa para um determinado sexo, quando isso não é o mais importante, então sempre me policio para chamar de bebê/pacotinho/milagrinho, tentando ser o mais imparcial possível quanto ao sexo. Melhor, né?

Agora voltando ao foco. Gente, ele está pensando no assunto!!!! Ainda mostra bastante insegurança, afinal ele sairia da sua zona de conforto (coisa que ele detesta) e eu também sou culpada porque eu o mimo demais, mas ele tem cogitado termos um novo membro em casa e está imaginando como seria com a chegada do bebê. Na cabeça dele deve estar a pergunta: existe vida após o bebê? Hahahahhahaha

Porém eu já me contento só por ele pensar no bebê, mesmo que ainda não seja de forma positiva, eu sou paciente e confio que essa visão também mudará.


Confesso que gostaria que o tempo andasse mais devagar. Combinamos conversar sobre a gravidez em janeiro e acho que ele está evoluindo nesse quesito, no ritmo dele (lento para mim), mas está evoluindo com a ideia... Talvez se o tempo passasse um pouquinho mais devagar até janeiro ele já esteja pronto. Colabora aí, seu tempo...


sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Desabafo de uma NÃO Trombofílica

Olá meninas!
Dia 19, segunda-feira, eu tive a melhor notícia do ano. Sério!
Calma, calma, AINDA não foi o sonhado positivo, mas a notícia me aproximou um tantinho mais do meu milagrinho.
Saiu o resultado dos exames destinados a investigar se eu seria trombofílica e a resposta é NÃO! Eu não sou trombofílica!!!!!


Pausa para a dancinha de felicidade...


Eu imagino que todas aqui saibam a magnitude desta notícia, né?
Eu já mencionei AQUI o quanto a trombofilia dificultaria uma possível gestação: risco de perdas nas últimas semanas da gestação em virtude da trombose placentária, a necessidade das picadinhas de amor (injeções de clexane na barriga durante toda a gestação até 40 dias após o parto), o custo das injeções, a possibilidade de um parto prematuro (dependendo das circunstâncias alguns médicos optam por interromper a gestação assim que o bebê encontra-se maduro, a fim de evitar a ocorrência da trombose placentária). Ou seja, a gestação de uma trombofílica é uma gestação de risco. Ok! Ok! Há inúmeras histórias de sucesso, há tratamento, a medicina evolui constantemente, mas... é inegável que é uma gestação assombrada pelo risco iminente, a dor das picadinhas... Medo! Medo é a palavra que melhor define!
Então, eu não ser trombofílica foi a melhor notícia deste ano de 2015!!!!
Assim que saí do médico com essa notícia, eu mal me controlei até chegar no carro... Comecei a chorar na rua mesmo! Fui tomada por uma emoção... Uma gratidão... Foi inexplicável o que senti!
Eu agradecia a Deus e chorava de soluçar... Fiquei banhada de lágrimas. Lágrimas de alegria. Lágrimas de alívio. Lágrimas de vitória.
Meu milagre está mais perto de mim... As chances aumentaram e eu sou muito grata!
Tentei entrar numa igreja para agradecer, mas as duas em que fui estavam com as portas fechadas (sou da época que Igrejas ficavam abertas durante o dia), então parei o carro na rua mesmo. Chorei até lavar a alma e fui para casa, contar para o marido. 
Esse é um caso à parte, porque ele sabe o que significa isso (nada me impede de insistir no projeto Catarina). Obviamente, ele ficou feliz, comemoramos a minha saúde e tenho fé que em breve ele irá se render à ideia de ser pai! Confio em Deus!
E se Ele quiser, em 2016 venho aqui contar para vocês sobre meu positivo e a gestação!!!!


Beijos, 
Ci

quinta-feira, 8 de outubro de 2015


Eu devia estar trabalhando, mas estou em êxtase e não via a hora de contar para vocês... Toda quarta-feira o marido e eu fazemos o Evangelho no Lar, que nada mais é do que lermos um trecho do Evangelho e discutirmos sobre o trecho lido. A passagem que lemos ontem nos remeteu à conversa sobre filhos e o meu marido se mostrou muito mais aberto à possibilidade, semelhante à posição em que ele estava no começo do ano, quando comecei a plantar a sementinha nele (vcs lembram que ele aceitava com um pé atrás, aí depois entrou numas de não aceitar de jeito nenhum – quando cogitei a separação – e agora voltou ao status inicial de aceitar com um pé atrás). Pode parecer pouco, mas eu já considero um progresso tendo-se em vista a forma como ele estava lidando com a ideia meses atrás. Ele disse que sente que deve tomar a decisão e sabe qual decisão deve tomar, mas ainda precisa de um tempo e algumas seguranças financeiras. Eu concordo, respeito e me sinto grata por ele fazer essa reflexão por ele mesmo. Sem nenhuma interferência minha, sem pressão. Ele sabe que eu quero e está lidando com isso no tempo dele! Obrigada, meu Deus!!! Após muito diálogo saudável e harmônico, (re)combinamos o já combinado: voltaremos a conversar sobre o assunto em janeiro de 2016. Enquanto isso, vou orando para que Deus interceda por nós, ajude-o a não só aceitar, mas querer ter um filho e nos dê as condições necessárias para que possamos engravidar. Rezem por nós, por favor...
Bebê, espere um pouquinho mais aí no céu, que a mamãe está preparando tudo aqui para você...

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Meu (futuro) dilema pessoal: maternidade x carreira

Pausa para digressões...
Hoje não fui trabalhar, pois tinha um prestador de serviço fazendo uma manutenção em casa e como a minha agenda é flexível, fiquei para acompanhar o trabalho.
Me sinto tão bem nos dias em que fico em casa e não preciso nem pisar no escritório! Isso me fez pensar que como eu acabei de voltar de férias, não deveria estar tão a fim de “fugir” do trabalho, concordam?



E eu sei perfeitamente porque isso acontece comigo. Simplesmente porque eu não gosto do meu trabalho! A cada dia que passa tenho mais certeza disto e é muito frustrante!
Acredito muito que aquilo que a gente faz com amor, faz melhor e produz bons frutos. E afinal de contas, eu estudei cinco anos, depois de formada passei numa prova em que muitos não conseguem aprovação para poder exercer a profissão para depois de dez anos concluir que não me satisfaz?
Aí começo a pensar: Gostaria de encontrar algo que me motive! Que me faça sair de casa feliz, satisfeita, disposta para mais um dia de trabalho...
Tá bom, ok! Não está tão difícil assim, mas qual seria esse trabalho? EU NÃO SEI! Eu não consegui encontrar (e olha que eu já refleti bastante a respeito) o que eu gostaria de fazer! Perseguir o sonho nacional e ter meu próprio negócio? Em que ramo? O que me agrada? Não sei! Mudar totalmente minha carreira e partir para fazer outra coisa? O que? Cursar medicina, que era meu sonho de infância? Terapias holísticas, aproveitando alguns cursos que eu já fiz? Voltar ao início da minha vida profissional e ser vendedora novamente? Honestamente, nada me brilha os olhos.
É muito frustrante não saber o que você quer da vida nesse aspecto profissional, porque nem consigo mudar o que me incomoda, já que não sei como. Se alguém me olhar e disser: Corra atrás dos seus sonhos! Eu responderia, que sonho? Não tenho nenhum objetivo profissional hoje que não seja ganhar dinheiro para poder ter meu bebê.
E aí vem uma outra incógnita. Eu sei que quero ter meu bebê. Eu sei que gosto muito de ficar em casa. Será que eu vou me encontrar sendo mãe e dona de casa? Se for isso, é bom por um lado, porque eu teria encontrado a “tarefa” que me motive, mas por outro, eu terei que lidar com o meu julgamento.
Fui criada para ser profissional, provedora do lar, totalmente independente: “Filhos vão para a escolinha e você vai trabalhar para dar o melhor para ele!” De repente descobrir que pode ser que eu seja feliz sendo dona de casa, como a minha avó, seria romper um paradigma estabelecido por mim, com base na educação que tive. Na minha cabeça hoje, abandonar a profissão e optar por ser “do lar” seria sinônimo de fracasso. Preciso trabalhar em mim essa aceitação... Por favor, não me entendam mal, estou dizendo que deve ser tão bom que eu estou considerando ser dona de casa, mas tenho problemas com meu autojulgamento. Eu nunca imaginei que seria um dia dona de casa e hoje me vejo desejando secretamente isso, sem coragem sequer de admitir para amigos próximos. Apenas quem sabe é o marido e vocês hoje. Nem a minha mãe sabe disto, porque ela me criou para ser uma profissional de sucesso, de destaque, quem sabe uma promotora de justiça ou uma juíza? Eu optar por ser dona de casa nunca passou pela cabeça dela e ela se decepcionaria, tenho certeza.
Hoje vi uma entrevista de uma mulher madura que largou a carreira para ser bailarina. Segundo ela o marido a apoiou dizendo: “Você não gosta da sua carreira, como você vai deixar nosso filho em casa para fazer aquilo que não lhe dá prazer?”.
Gente, isso me tocou! É bem assim mesmo! Se eu não for apaixonada pelo que faço, não vou querer deixar meu bebê em casa ou numa escolinha, de jeito nenhum... Sinto que vem um dilema por aí!

“Todo trabalho te deixa infeliz, é por isso que somos pagos por ele” (Rules of engagement)

Vocês gostam do que fazem? Encontraram satisfação profissional? Vocês tentantes, pensam em como será quando tiverem seus bebês e mamães, como lidaram com a maternidade e carreira?
A opinião de vocês é muito importante para mim. Já agradeço antecipadamente todas as que já se manifestaram lá no snapchat.
Vocês são demais!
Beijos,
Ci

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Será que estou pronta para ser mãe?

Andei sumida pois estive viajando (depois faço um post contando tudo), mas principalmente porque para que eu consiga escrever, preciso estar bem. Com a cabeça e os pensamentos no eixo para então colocá-los em palavras.

Algumas sabem que eu passei por momentos críticos no casamento, com o marido estressado e descontando sua frustração na paternidade, afirmando que não quer filhos. Não foi fácil, mas segurei bem a barra. Dei o suporte necessário e fui paciente, mas não tinha inspiração para vir aqui escrever para vocês, até que a viagem chegou.

Bom, as férias tiveram duas etapas: Alemanha e França.  Na Alemanha passamos uns dias com um casal recém descoberta a gestação gemelar e na França ficamos na casa de uma amiga que tem 2 filhos e 2 primos das crianças frequentam a casa dela... Logo, eram 4 francesinhos! Respirei fundo e pensei: pode ser que com essa exposição toda à infância o marido mude de ideia e veja o encanto da paternidade. Na realidade eu é que voltei em dúvida se dou conta do pique que crianças em tenra idade têm! hahahaahahaha



Gente, sério, a bateria não acaba nunca! Nessas horas lembrei de uma moça novinha de tudo, que tinha um IG que eu adorava, Laura, mãe da Alice, que certa vez fez um post, que até gerou certa polêmica porque teve gente que se ofendeu, dizendo que ela adorou ser mãe tão nova porque ela vai ter pique para correr no parque atrás da filha e brincar com ela com todo o gás do mundo. Agora eu entendi! Sem dúvida alguma a maternidade na maturidade (digamos, depois dos trinta, como é o meu caso) tem inúmeras vantagens, mas a desvantagem do condicionamento físico é um fator determinante, seja para o sucesso da gestação saudável, seja para o desempenho da função quando a criança quer brincar, pular, correr e dar cambalhotas.

Por favor, entendam que eu não estou generalizando. Tem muita trintona (quarentona/cinquentona...) em melhores condições físicas do que muita menininha, mas este não é o meu caso!

Sou sedentária por natureza. A preguiça é meu nome do meio e o sono meu sobrenome. Deu pra ter uma ideia?

O Garfield me representa!!! kkkkkkk

Portanto estou aqui apenas dividindo a impressão que eu voltei das férias. A tarefa não será nada fácil, não poderei contar muito com o meu marido (que é pior que eu no quesito preguiça, beirando a acomodação... rsrsrs) e pode ser que eu tenha esperado demais... Pode ser que eu já esteja “velha” (no sentido de ânimo, pique... que nada tem a ver com a idade, ok?!) para aguentar uma tarde no parquinho com meu futuro filho...



Fato é que voltei com essa dúvida. Mas não desisti do meu sonho de maternar, apenas fiz uma reflexão sobre o que vem depois que nosso sonho deixa de ser um bebezinho e passa a ter mais autonomia, a andar, correr, falar...
Uma certeza eu tenho. Ser mãe é a tarefa mais nobre e mais importante que uma mulher pode desempenhar na sua vida! A forma como vamos desempenhar essa tarefa determinará como um ser que nos foi confiado por Deus conduzirá a sua vida, qual será sua formação moral, religiosa e seu caráter. É uma baita responsabilidade!!!!

“Lembrai-vos de que a cada pai e a cada mãe perguntará Deus: Que fizestes do filho confiado a vossa guarda?” (Cap. XIV, item 9 – ESE).

Bom, após toda essa reflexão, posso assegurar-lhes que estou mais centrada, equilibrada e pronta para seguir adiante. Com mais calma, mais serena e menos impaciente.

Vou aguardar o tempo que meu marido precisa para se adaptar à ideia da paternidade, enquanto isso, começarei a poupança do nosso pacotinho e tentarei me preparar psicológica e fisicamente para tudo que está por vir, confiando sempre a Deus a decisão sobre tudo em nossas vidas.

Confesso que estou até orgulhosa da minha serenidade e peço que Deus a mantenha em mim, pois está boa essa sensação de equilíbrio (que é novidade para mim!) kkkkkkkk

Beijinhos,

Ci

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Nossas férias de setembro!

Setembro chegou e junto com ele a tão famigerada viagem que gerou tanto conflito aqui em casa!!! hahahahaaha

As minhas não estão nem perto de ficarem prontas... 

As malas, ao contrário destas da foto, ainda não estão prontas. O Roteiro, passagens de trens e hotéis estão ok!

Viajaremos na sexta, então, por mais que não seja o meu estilo, ainda tenho um tempinho para concluir as malas... 

Ficarei ausente por umas duas semanas e é pouco provável que eu consiga publicar alguma coisa de lá, mas assim que voltar, atualizo vocês. 

Talvez até volte com algumas dicas de passeis na Alemanha e na França... quem sabe?

Aguardem.

Beijinhos,

Ci

terça-feira, 25 de agosto de 2015

A cura!

É com imenso prazer que venho anunciar que fiz o doppler hoje (seis meses após ter sofrido uma trombose venose profunda extensa na veia femoral e uma embolia pulmonar) e EU ESTOU LIVRE DOS COÁGULOS!!!
Obrigada, meu Deus! Muito obrigada!
A recomendação médica foi que eu use o Clexane antes dos voos longos, meias de compressão (olha as meias Kendall aí, gente!!!!) e faça exercícios para ativar a circulação durante os voos, mas tudo bem!
Hoje é dia de agradecer ao nosso bom Deus e não de reclamar sobre o preço do remédio (eita injeçãozinha cara sô!)
Ops... escapou a reclamação hahahaha 
Serei iniciada nas primeiras picadinhas de Clexane... será uma "prévia"!
Antes de ir para o aeroporto pensei em parar numa farmácia para aplicarem em mim, mas como terei que tomar a picadinha lá na França também, antes de voltar, estou pensando em me aventurar na autoaplicação desde aqui.
Será que conseguirei? Alguém tem dicas preciosas para as picadinhas? Preciso ter coragem, né? Onde arrumarei alguém para me aplicar na França? E outra, se eu não tiver coragem de fazer a autoaplicação, como será quando eu engravidar?
Ahhhhh! Aliás, assim que disse ao marido que estava curada, sabem o que ele me disse?
"Então vamos fazer a Catarina?" (sim! Esse é o nome da minha Baby, se for menina e meu marido é lindo, me fez ainda mais feliz hoje kkkkkkkkkkk)



Acreditam que eu travei? Tinha acabado de sair da farmácia e ver o preço de duas seringas de Clexane (R$ 141,00). Respondi assustada: Nãoooo! hahahhaha
A louca!
Eu sei que ele estava brincando, mas só por ele ter citado a Catarina na comemoração da minha "cura" já significa que o assunto está na cabeça dele, né?
Duas vitórias, duas notícias ótimas de uma vez só!

Por isso, de novo, OBRIGADA, MEU DEUS! POR TUDO!
Beijos,
Ci

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Sonho que se sonha junto é realidade...


Uma das poucas certezas que temos nessa vida é que nada é imutável... Será? Estou aqui, no quarto que seria o quarto do nosso bebê, refletindo sobre as mudanças que ocorreram em mim com relação à maternidade e no meu marido quanto à paternidade. E explico-lhes. Todo mundo já sabe que nos casamos dizendo que não teríamos filhos, mas após 2 anos eu mudei de ideia por motivos que não vem ao caso. Naquela oportunidade (entre abril/maio) ele disse que estávamos juntos nessa e que me apoiaria qualquer que fosse a minha decisão, apenas precisávamos definir a data do início das tentativas. Vocês devem se recordar de alguns posts que eu fiz a respeito do lento processo de aceitação dele... Acontece que no começo do mês passado ele sofreu o que ele considera um grande "tombo financeiro" e isso abalou todas as estruturas emocionais dele fazendo com que concluísse que foi um sinal e que é muito arriscado termos filho. Temos conversado bastante sobre o que fazer com relação a esse objetivo que não temos em comum. Consideramos que só é realidade sonho que se sonha junto e pelo menos por enquanto ele não está nessa comigo. Ontem conversamos bastante com muita calma e tranquilidade, de forma racional e a separação não é algo improvável. Ele entende que não pode me impedir de realizar um desejo, mas eu também não posso obrigá lo a ter o mesmo desejo que eu... Estou muito confusa! Não quero perder o que temos é com o coração partido, em prantos, que estou aqui no quarto de hóspedes, onde sonhei um dia que seria o quarto do meu bebê, pedindo a Deus nos ilumine e mostre o caminho. Eu amo meu marido e sei que ele me ama também, mas estamos num impasse! Me pego questionando por quê Deus colocaria um desejo em mim que pode arruinar meu casamento? Nossa relação era perfeita antes disso, sem exagero... Estou muito confusa! Perdoem-me pelo desabafo e provavelmente pela falta de coerência nas ideias, mas isso aqui é meu diário. Botei para fora o que estou sentindo já que não quero falar sobre esse assunto com ninguém presencialmente. Só quero paz e luz para entender o que está acontecendo.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

25 dicas para turbinar suas chances de engravidar usando a alimentação a seu favor

Vida de tentante não é fácil, nós sabemos...

Se controlar a ansiedade, manter a fé e a serenidade já não fosse difícil o suficiente, ainda tentamos (tô me incluindo no mesmo barco, me deixem! rsrs) as cinquenta mil dicas para mudança de hábitos, alimentação, suplementação etc.

Já sabemos que devemos comer com moderação, evitando gorduras ruins (saturadas e trans) e alimentos industrializados, ricos em sódio. Evitar doces e tentar incluir ao máximo os vegetais na nossa dieta. Especialistas alertam que mulheres tentando engravidar devem evitar regimes restritivos, pois estes podem prejudicar a ovulação.

Então, caras amigas, com o objetivo de ajuda-las a alcançar seu tão sonhado positivo, compartilho com vocês um pouquinho de tudo que já li a respeito de alimentação para quem está querendo engravidar:

1 - Ácido fólico: estamos cansadas de ouvir o quanto o ácido fólico é importante para a tentante e gestante. Responsável por prevenir má formação fetal e a adequada formação do tubo neural, toda tentante que se preze toma diariamente seu comprimido de ácido fólico. Mas ele também pode ser encontrado em abundância na alimentação. Sabiam? Então anota aí. O ácido fólico é encontrado em maior quantidade em fígado de galinha, de boi e de peru cozidos  e grão de bico.

2 - Ácidos graxos: presentes em óleos vegetais e gorduras animais (gordura boa) contribuem para a fertilidade.

3 - Ômega 3: encontrado em maior quantidade em sardinha, salmão, sementes de chia e nozes aumenta a fertilidade.

4 - Alimentos de baixo índice glicêmico: arroz integral, aveia em flocos, mandioquinha, batata-doce, milho, inhame, quinoa, maçã, pera, ameixa, atum e grão-de-bico.

5 - Proteínas vegetais tais como a soja, feijão, grãos, cogumelos, grão-de-bico, quinoa. 



6 - Leite integral (isso será difícil para mim, estou muito habituada ao leite desnatado...): ajuda na ovulação e na fixação do óvulo fecundado.

7 – Licopeno: nutriente encontrado no tomate, mamão, melancia, goiaba vermelha, cenoura, abóbora, caqui e pitanga.

8 - Vitamina A presente no fígado, ovos, agrião, couve, espinafre, cenoura, manga, mamão  ajuda na produção de hormônios femininos.

9 - Vitamina D encontrada na sardinha, atum, iogurte, ovos, fígado, manteiga. Porém, a principal fonte do nutriente é a luz solar (15 minutos diários no sol das 8h as 10h ou das 16h as 18h) ajuda o corpo na ovulação, garantindo o equilíbrio hormonal.

10 - Vitaminas do complexo B: a vitamina B6 está na batata, banana, peito de frango, salmão, atum, abacate; para a vitamina B9 (conhecida como ácido fólico) o grão de bico, vegetais verde-escuros, fígado, lentilha, feijão, laranja, amêndoas e espinafre são boas fontes; vitamina B12 é encontrada em carnes, peixes, ovos, leite e queijos.

11 - Vitamina C: todos sabemos onde encontrar, né? Mas vamos lá, tem na laranja, limão, abacaxi, mamão, goiaba, pimentão.

12 - Vitamina E: presente na alface, agrião, espinafre e couve, óleos vegetais.

13 - Ferro: carne vermelha, fígado, aves e peixes, vegetais verde-escuros, leguminosas.

14 - Selênio: gérmen de trigo, atum, salmão, alho, castanha-do-pará, ovos, arroz integral

15 - Zinco: ostras, nozes, castanhas, carne bovina, farelo de aveia.

(pausa para divagação: tô pensando em começar a tomar Centrum de A a Z assim já engloba todas as letras do alfabeto, porque, olha... é muita vitamina!!! kkkkkkk)

16 – Água de coco: rica em eletrólitos (oi?), potássio (ajuda a regular a pressão arterial e a função cardíaca) e magnésio. Melhora a função intestinal e ameniza a prisão de ventre.

17 – Farinha de linhaça: reza a lenda que ela contribui na formação do muco elástico (e quanto mais muco, melhor a locomoção dos peixinhos até a linha de chegada).

18 – Inhame: eu adoro cozido para comer com manteiga, mas a forma mais tradicional de seu consumo é o chá da casca do inhame. Por ser indutor de ovulação, deve ser tomado nos 7 dias que antecedem a ovulação.

19 – Beba muito líquido! Quanto mais hidratada você estiver mais muco e de melhor qualidade você terá. Bendito seja o muco! Hahahahha

20 – Abacaxi: fonte de bromelina, facilita a implantação do embrião, age como anticoagulante natural. Iniciar seu consumo no dia seguinte a ovulação, ingerindo uma fatia grande com o miolo durante cinco dias. Não descarte aquela parte mais durinha, pois é nela onde está a maior concentração de bromelina.

21 – Sorvete (quanto mais cremoso, melhor): Dizem que há um estudo em Harvard conclusivo de que o consumo de sorvete duas vezes por semana melhora o funcionamento dos ovários, facilita a produção de hormônios sexuais e aumenta a fertilidade devido à gordura presente no sorvete. Calma, amiga... não exagere... Confesso que pasmei quando li!

22 – Gelatina: o colágeno presente na gelatina é importante para os órgãos e fortalece o endométrio. Pode ser a sem sabor, em pó ou folhas, as coloridas de caixinha ou a hidrolisada (mais concentrada, pode ser adicionada a sucos ou leite).

23 –Physalis: estudos mostram que a physalis ajuda transplantados a não rejeitarem os órgãos, regulando a imunidade do organismo. O mesmo conceito vem sendo usados por tentantes, pois o organismo pode interpretar o embrião como um invasor. Consuma 3 a 4 frutinhas após a ovulação.

24 - Clara de ovo: rica em proteínas, dizem ser adequada para as tentantes.

25 - Pó de Kelp: Kelp é uma alga marinha rica em cálcio e vitaminas b. Li que é usada há muitos anos na prevenção de abortos de primeiro trimestre. Particularmente, nunca tinha ouvido falar. Recomendam consumir uma colher de sobremesa diariamente por 12 dias após a ovulação para ajudar na implantação e progressão da gestação. Em todas as pesquisas realizadas notei a advertência para que não seja consumida mais que uma colher de sobremesa por dia, já que as algas são ricas em iodo, e o excesso desse elemento no organismo pode trazer danos a saúde.

Notem que são alimentos! Essa lista é resultado de tudo que já ouvi falar e li sobre a alimentação e tentantes, sem qualquer embasamento científico. Eu duvidei até da fonte que mencionou um estudo de Harvard, mas penso assim: não são medicamentos, são alimentos, coisas naturais e mal não farão. Portanto, quando chegar a minha hora, vou ser a louca dos alimentos naturebas... Vou colar a DIETA DE TENTANTE na geladeira pra não me perder com tanta dica... rrsrsrs

E vocês? Conheciam todas? Fizeram alguma? Tem mais alguma dica? Conte-nos!

Boa sorte para nós e que o positivo de vocês venha em breve!

Beijos férteis,

Ci

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

10 DICAS PARA ENGRAVIDAR

Ok, eu ainda não sou uma tentante oficialmente, mas informação nunca é demais, né?
Como pretendo me tornar tentante nos próximos meses, daqui um ano, talvez, andei pesquisando e montei uma listinha com as dicas que já li:
1 - Cuide do seu corpo. Zele pela sua saúde. É fundamental que seu organismo esteja propício para uma concepção. Por isso, atenção ao seu forninho...
2 - Conheça o seu corpo! Embora não seja possível saber o momento exato da ovulação, o nosso corpo dá os sinais de que ela está se iniciando. A forma mais difundida é o MOB – Método da Ovulação de Billings.

3 - Mantenha relações sexuais intercaladas (dia sim, dia não), para dar tempo dos peixinhos serem repostos com qualidade. Ahhh, mas eu não posso fazer todo dia? Pode, meu bem! Claro que pode! Trata-se apenas de uma cautela para garantir bons e saudáveis peixinhos, mas siga seus instintos. Se quiser namorar o maridão todo dia, ninguém irá te proibir!
4 - Falando em namorar o maridão, eis outra dica preciosa: não namore por obrigação. Não torne o seu período fértil um confinamento sexual, uma obrigação imposta... Não! Eu sei que haverá muita pressão em você (principalmente a imposta a você por você mesma), mas lembre-se, prepare-se para fazer amor com o seu marido e não para treinar e conceber, obrigatoriamente. A relação sexual deve ser prazeirosa, leve, livre de obrigações. Se houver a concepção será uma benção, mas naquele momento, tente tornar a concepção um bônus, o fim deve ser a satisfação e entrega de vocês. Lembre-se, em que ambiente, em que vibração mental você gostaria que seu filho fosse concebido? Numa relação “obrigada” por ser o período fértil ou numa relação repleta de amor e prazer?
5 - Recomenda-se que as relações ocorram um ou dois dias antes da ovulação, porque espermatozoides podem sobreviver no trato vaginal, porém o óvulo permanece útil para a fertilização apenas por 24h. Se as relações forem realizadas até dois dias antes da ovulação cresce a probabilidade de você conseguir o seu positivo (e, dizem também, de ter uma menininha, mas isso é assunto para outro post).
6 - Capriche nas preliminares e evite o uso de lubrificantes. Como o PH da vagina é alto, o muco serve como uma caminha própria para levar os espermatozoides sãos e salvos até o útero. O lubrificante impede os espermatozoides de alcançarem o muco cervical, prejudicando sua locomoção, podendo acarretar até a morte dos peixinhos antes de cruzarem a linha de chegada. Lembre-se: o melhor lubrificante é a sua excitação! Aproveite o momento e peça ao maridão para caprichar bastante nas suas carícias preferidas.
7 - Existem alimentos favoráveis à concepção. Por exemplo, a linhaça melhora a qualidade do muco cervical, indicam o consumo de inhame na primeira fase do ciclo (até o período fértil), uma fatia de abacaxi (com miolo), por 5 dias em jejum no dia seguinte ao dia da ovulação para ajudar na implantação do embrião, de 3 a 5 frutinhas de physallis diariamente, após a ovulação, Agua de coco, pó de Kelp, gelatina... A lista é infindável e vai render um post específico em breve, prometo!
8 - Essa dica não é convencional, mas acho muito importante. A adotarei, sem sombra de dúvida! Não divulgue que está tentando!!!! A pressão social é grande. Não fará bem a você ficar respondendo às perguntas de amigos e familiares. Além da expectativa que isso gera em você e nos próximos... Já basta ter que lidar com os seus sentimentos e suas expectativas – e por vezes, frustrações, sejamos honestas...  Não há a necessidade de compartilhar sobre isso com ninguém além do seu companheiro.
9 - É clichê? É! Ouvir esse conselho irrita todas as tentantes? Irrita! Mas não deixa de ser verdade por isso: a ansiedade atrapalha! Acalme-se, minha amiga!!! A sua ansiedade pode afetar totalmente o seu organismo. Recorra a alguns métodos para driblá-la, um hobby, esportes, leitura não relacionada ao tema, uma reforma, viagem... deu para entender, né? Ocupe a sua linda cabecinha com outras coisas que não seja gravidez, período fértil, ovulação etc.
10 - Mantenha a sua fé, seja ela qual for. Reze! Peça calma e resignação a Deus. Ele escolhe quando você deve engravidar. Ele é o Senhor do tempo. Aceite isso. Acredite quando dizem que Ele não colocaria um desejo em seu coração que não pudesse ser atingido! Seu milagre vai chegar no tempo d’Ele. Basta que você e seu parceiro faça a sua parte e aguardem com fé.
Reuni aqui várias dicas que armazenei ao longo dos últimos meses, tudo porém, sem embasamento científico. Lembre-se sempre, o acompanhamento médico da tentante é imprescindível. Em caso de dificuldades para engravidar há mais de doze meses, procure um especialista em fertilidade e mantenha sempre com você a fé e a calma. Conte comigo e pernas para cima! Quem nunca? hahahahaha


Beijinhos,

Ci

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Filhos: Quando um não quer, dois não fazem!

Bom dia! Andei sumida porque o marido e eu estamos passando por um momento crucial na nossa relação.
Além de uma dificuldade externa que não é objetivo desse post, ele não está levando tão bem quanto aparentava a minha mudança com relação à maternidade...
Temos conversado bastante e eu notei que não tenho o direito de impor a ele a minha vontade. Desde o princípio do nosso namoro eu sempre fui muito clara que não pretendia ter filhos. Cheguei a dizer-lhe (e não foi só uma vez) que caso ele mudasse de opinião ele teria que encontrar outra mulher para ser a mãe dos filhos dele.
Portanto não só não posso impor a paternidade a ele, como entendo que ele esteja resistente à ideia de filhos...
E não serei hipócrita em dizer que não entendo a postura dele. Cheguei a dizer-lhe numa de nossas conversas se fosse ao contrário eu não tenho certeza de que encararia essa jornada por ele, por amor.
Assim, após muita conversa, chegamos à seguinte conclusão: aguardar até o final do ano ou ano que vem para voltarmos a conversar e, se ele não estiver seguro da paternidade e eu continuar querendo engravidar, veremos o que será de nós.
Acredito que a decisão de ter um filho deveria brotar nele antes dele embarcar nessa comigo... acho que é essencial que ele queira entrar fazer parte dessa empreitada comigo e não por mim. Eu não quero que ele faça por mim! É algo muito grandioso para se fazer por outra pessoa que não seja por você mesmo. Quero que ele deseje, nem que seja um terço do que eu desejo, quero que diante das dificuldades da paternidade, de uma doença do bebê, de uma noite em claro, de uma fralda muito suja, da mudança que nosso casamento deve sofrer com a vinda de um filho ele não encare como algo que ele está fazendo por mim e sim como um desejo genuíno dele!
Acho que essa é a forma mais correta, porém eu não posso abafar o meu desejo ou me anular por amor... É uma via de mão dupla, logo se ele não mudar de ideia firmemente, por ele mesmo, e eu também continuar querendo, é provável que a nossa relação tenha um fim.
Fico me perguntando, isso resolveria o quê? Eu estaria divorciada (novamente), com mais de 35 anos, para começar tudo de novo? Para encontrar um homem decente, temente a Deus, honesto, fiél etc etc etc e então engravidar? Até lá eu teria quantos anos? Como alternativa poderia fazer uma produção independente, mas não era o que eu imaginava para meu futuro filho... Eu vim de um lar desfeito e adoraria dar a essa criança a composição tradicional de família.
Enfim, é com o coração partido que compartilho com vocês essa possibilidade de um término do meu casamento porque o meu marido, até o momento, não deseja ter filhos e eu sabia disso quando casei. Não o culpo, concordei plenamente porque pensava assim também e quem mudou as regras do jogo fui eu.
Que Deus ilumine nossos passos.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Receita prometida: Rigatoni alla crema di funghi

Amores, desvirtuando um pouco o propósito do blog, postei a foto do “rigatoni alla crema de funghi” no Instagram e algumas seguidoras pediram a receita. Como sou prolixa falo demais mesmo, ficou muito grande para postar lá, então segue a receita que não é minha! É da lindíssima e queridíssima Gabriela Pegurier, finalista da 2ª Edição do Cozinheiros em Ação do Canal GNT.

Ingredientes:
500g de macarrão grano duro (usei o rigatoni Barilla)
2 punhados generosos de funghi seco
Meio cubinho de caldo de galinha (se você tiver seu próprio caldo caseiro, perfeito!!!)
1 cebola grande picada em cubinhos
2 dentes de alho
1 colher de manteiga
Azeite
150 ml de vinho branco de boa qualidade (acredite amiga, faz diferença!)
500 ml de creme de leite fresco
Sal e pimenta do reino a gosto


Modo de preparo:
Numa vasilha com 2 xícaras de água morna coloque o funghi para hidratar por 15 minutos com o caldo de galinha.
Passado esse tempo, coloque o macarrão para cozinhar em água fervente com um punhado de sal. A partir desse momento, você terá aproximadamente 10 minutos para preparar o molho, de forma que molho e massa fiquem prontos simultaneamente.
Numa frigideira grande, funda e bem quente, refogue a cebola e o alho com um fio de azeite e a manteiga.
Assim que a cebola estiver transparente, escorra o funghi (reservando o caldo escuro da hidratação) e junte ao refogado. Salteie por um minuto, coloque vinho e deixe o álcool evaporar por mais um minuto, aproximadamente.
Misture o creme de leite e o caldo reservado da hidratação do funghi (com muito cuidado para a areinha do cogumelo que fica no fundo da vasilha não cair no seu molho) e tempere a gosto com sal e pimenta do reino preta (eu uso a moída na hora).
Junte o macarrão e misture delicadamente para que a massa não se desfaça.
Sirva com queijo parmesão ralado e delicie-se!



Quem fizer, me conta depois o que achou ;)
Bjos

domingo, 5 de julho de 2015

Novas regras da ANS dificultam a cesárea em planos de saúde

Entrará em vigor nesta segunda-feira, dia 06/07, uma resolução da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) que estabelece normas para estímulo do parto normal e a consequente redução de cesarianas consideradas desnecessárias.
Atualmente o índice de cesáreas é de 85% em procedimentos realizados pelas operadoras de planos de saúde, contra 40% na rede pública.
As novas regras incluem a obrigação dos obstetras para utilizarem o partograma (documento gráfico onde são feitos registros de tudo o que acontece durante o trabalho de parto, objetivando apurar se a cesárea foi realizada sem necessidade e acabar com as cesáreas agendadas). Caso não preencham o partograma, deverão justificar a impossibilidade de sua elaboração, em relatório médico detalhado, sem o qual o procedimento não será pago pelas operadoras de planos de saúde.
As novas regras, além de ampliarem o acesso à informação pelas consumidoras de planos de saúde, que poderão solicitar às operadoras os percentuais de cirurgias cesáreas e de partos normais por estabelecimento de saúde e por médico, implantarão o cartão da gestante, definido pelo Ministério da Saúde, no qual deverá constar o registro de todo o pré-natal a fim de que qualquer profissional de saúde tenha conhecimento de como se desenvolveu a gestação, facilitando um melhor atendimento à mulher quando ela entrar em trabalho de parto. O cartão deverá conter também a carta de informação à gestante, com orientações e informações para que a mulher tenha condições de tomar decisões durante o período pré e pós-natal.
Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/07/1651598-novas-regras-dificultam-cesareas-em-plano-de-saude-a-partir-desta-segunda.shtml
Há algumas semanas contei no Instagram (@tentante35) que o obstetra com o qual me identifiquei não faz partos através da operadora de saúde a que sou conveniada. Portanto, se eu o quiser como meu médico no parto, seja ele cesárea ou normal, teria que ser particular. Quando indaguei o motivo de ele não fazer partos pelo Convênio a resposta foi que o pagamento pelo parto realizado pela operadora de saúde é irrisório para quem está com duas vidas depositadas em suas mãos.
Com relação a essa nova medida da ANS, a minha opinião é de que o parto normal deve ser estimulado sim! Acho digno. Mas de forma alguma deve ser imposto. O corpo é nosso. Quem decide o tipo de parto que pretende ter é, deve e tem que ser a gestante!
As opções têm que estar disponíveis para que ela, e somente ela, lance mão daquela que a deixará mais confiante, tranquila e segura para receber a nova vida que lhe será entregue.

No meu caso, por exemplo, que tudo indicava já ser difícil encontrar um médico pela operadora de saúde em virtude da gravidez de risco, agora então, com todas essas regras: partograma, na sua ausência, relatório médico detalhado, correndo o risco de não ter o procedimento pago pela operadora, será que os médicos irão mesmo continuar a realizar os partos pelo Convênio? E o que mais me preocupa, ainda que o façam, o farão com a boa vontade necessária para se trazer uma vida ao mundo?

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Vocês andam alimentando o seu GREMLIN (ansiedade)?

Gimzo: o gremlin bonitinho...


Ansiedade é uma coisa engraçada... Como nunca fui ansiosa, estou descobrindo algumas de suas facetas desde que decidi tentar engravidar e comecei a associá-la com os Gremlins. Lembram do filme dos anos 80 em que se aquele peludinho lindo fosse molhado ou alimentado após a meia noite se transformava em dúzias de monstrinhos feiosos?
Pois é... A ANSIEDADE também funciona assim comigo...
Vejam a que nível de loucura a ansiedade pode nos levar: marido e eu faremos uma viagem internacional em setembro. Essa semana eu tive a pachorra de ver no app que uso se daria para tentar lá na viagem, já pensando que seria bacana conceber nosso bebê na Europa. Mas opa opa opa! Para tuuuuuuudo! Eu nem sei se estarei liberada para as tentativas.


Fui fuçar no App para ver meu período fértil em setembro
Acompanhem comigo: meu retorno no angiologista é no final de agosto; provavelmente faremos o doppler para ver se estou livre dos coágulos, depois a investigação (SAAF) e após todos os resultados terei (ou não) alta para iniciar as tentativas. Eu viajo em 05 de setembro, talvez antes, em que planeta eu vivo pra achar que em 3 dias úteis eu terei conseguido fazer tudo isso e ainda preparar as coisas para a viagem?
Mas eu eu cogitei tudo isso e ainda fui além. Já imaginei em que mês nasceria se a concepção fosse durante nossa estadia lá e me alegrei com o resultado. Pensei no signo e poxa, que legal que seria se caísse no dia X!
É muita doidera né?
Só que não parou aí! Porque o bichinho da ansiedade cresce demais quando alimentado.

Atenção para as regras: Não os molhe, se eles se molharem, começam a se multiplicar; eles não gostam da luz forte, pois esta os irrita. A luz do Sol pode matá-los! E a terceira e última regra é a mais horrível de todas: não os alimente após a meia-noite, caso isso aconteça eles encasulam-se, passando por uma metamorfose, transformando-se em Gremlins. Eu chamo de ansiedade, mas dê o nome que preferir!

Comecei a pensar em não ir viajar com o marido para adiantar todos os exames e "não perder o ciclo". Gente! Não tem cabimento passar pela minha cabeça deixar de ir com ele por pura ansiedade! O pior é que eu sei disso! Meu racional fica me puxando para a realidade, me dizendo que sequer tenho como ter certeza se poderei iniciar as tentativas, também que não adiantaria nada eu não ir e estar sozinha aqui, liberada para iniciar os treinos sem o marido e que um ciclo a mais não é nada para quem está em tratamento há tantos meses, mas essa ansiedade nos prega peças!
Para dribra-la estou pensando em começar a focar em outubro, porque setembro estará comprometido com viagem e exames. E assim adiciono mais um mês à minha amarga espera... E pensar que em março eu discuti com o marido porque ele só queria começar as tentativas em 2016...



Deus sempre nos mostra que Ele é o senhor do tempo e não nós, né?!

Beijos, 

Ci