segunda-feira, 4 de julho de 2016

A tal da enoxoparina sódica, carinhosamente chamada de picadinha de amor

Passada a euforia do positivo, foi hora de iniciar o pré-natal. Fui direcionada para um obstetra especializado em gestação de risco, com esperança de que conversando com ele, mostrando meus exames (apesar de ter tido trombose e embolia pulmonar, a investigação para trombofilias foi negativa) ele me dissesse que eu poderia ficar tranquila, pois teria uma gestação "normal" e saudável.
Não foi assim que aconteceu.
Ele disse que minha condição é de ALTO RISCO (foi assim que ele escreveu na minha ficha: em vermelho, em caixa alta). Disse-me que posso perder a qualquer momento, mesmo tomando 80 mg de enoxoparina sódica..
Nem preciso dizer o quanto fiquei aflita, né? Por isso meu sumiço aqui...
Passado o pânico, me agarrei em Deus. Ele me trouxe até aqui, me deu esse bebê conforme Sua vontade, no mês que eu acreditava ser o menos provável de obter o positivo, Ele não há de desamparar. Só me cabe fazer a minha parte e Ele cuidará do resto, juntamente com a medicina.
E chegamos ao ponto principal do presente post.
Como consegui a medicação (caríssima, diga-se de passagem) pelo SUS. Os nomes comerciais mais conhecidos da enoxoparina sódica são Clexane ou Versa. A enoxoparina é utilizada no tratamento e prevenção da formação de coágulos sanguíneos, dificultando, assim, a ocorrência de trombose e/ou embolias.
Para obtenção do medicamente me informei na Fundação Municipal de Saúde da minha cidade, equivalente a uma Secretaria de Saúde e fui encaminhada para o CEAD - Centro Especializado de Apoio e Diagnóstico local (um órgão municipal, no seu município pode ter outro nome). Lá me entregaram uma relação de documentos necessários para a obtenção do medicamento (vide foto abaixo).



Tratam-se de documentos facilmente obtidos. Levei cópias simples dos meus documentos pessoais, comprovante de residência, certidão de casamento, receita médica prescrevendo a medicação formulário próprio preenchido pelo médico com um breve relato do meu histórico médico e os motivos para a indicação da medicação, duração do tratamento e dosagem indicada.
Ali fui informada que eles não fornecem a dosagem prescrita (80 mg), mas poderiam me fornecer duas de 40 mg se o médico assim prescrevesse. Conversei com o médico e ele fez novo formulário e receita para aptar às duas doses de 40 mg.
Com a apresentação da documentação, foi criado um processo, gerado um protocolo e saí do CEAD com doses suficientes para 10 dias. De 10 em 10 dias terei que ir até lá para retirar. A atendente me disse que a probabilidade de faltar o remédio é muito pequena, mas por precaução, ela recomenda que eu tenha uma reserva financeira para arcar com um ou dois dias de tratamento, caso falte. Para as próximas retiradas, basta que eu apresente um documento pessoal e o protocolo que me foi fornecido. Simples de tudo!
Quando o serviço público funciona, merece ser elogiado e este serviço público, aqui na minha cidade, está de parabéns!!!!
Espero ter ajudado a desmistificar o assunto e que todas que precisem tenham a mesma sorte que eu tive.





Reclamar das duas picadas diárias? De jeito nenhum! Estou muito grata por tê-las obtido. Aplico duas injeções diárias na barriga, repleta de amor, por estar protegendo o meu bebezinho com as picadinhas de amor!


Beijos de luz para vocês,

Nenhum comentário:

Postar um comentário